Vereador Mateus cobra explicações do DNIT sobre obra do Muro de Arrimo do Porto de Parintins

por Clely Ferreira publicado 23/11/2020 14h36, última modificação 23/11/2020 14h36 Texto: Mayara Carneiro - Assessoria Parlamentar / Foto: Simone Brandão
Inclusive, o Vereador destacou que essas informações são relacionadas ao Muro de Arrimo do Porto da cidade, diferente dos trabalhos do Muro de Arrimo que estão sendo executados pela Prefeitura Municipal em parceria com o Governo do Estado do Amazonas, que segue em andamento desde a área do Comunas.

Em pronunciamento na Sessão Ordinária deste dia 23 de novembro, o Vereador Mateus Assayag (PL) tratou sobre viagens à zona rural no fim de semana e questões voltadas ao Porto da cidade de Parintins. Primeiro, frisou realizar visitas a algumas comunidades rurais para agradecer aos comunitários que depositaram votos de confiança em seus trabalhos legislativos. Durante os diálogos, Mateus reafirma compromisso com a sociedade parintinense e disse já estar planejando as ações futuras de trabalho. 

Em seguida, o parlamentar apresentou um Requerimento direcionado ao DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) no sentido de solicitar explicações sobre a obra e serviços do Muro de Arrimo do Porto da cidade de Parintins. A propositura foi aprovada por unanimidade.

“Nós temos mais de 50 metros de Muro nessa área e só foi feito projeto para 36 metros. Pasmem! E, pelas informações que nós temos não se tem nem previsão para a continuidade do trabalho. Quero saber o que vai ser feito para resolver esse problema de forma urgente. É um absurdo o que está acontecendo. Queremos saber como está o processo, porque senão o Rio Amazonas vai subir e não se vai resolver o problema”, explicou. 

Inclusive, o Vereador destacou que essas informações são relacionadas ao Muro de Arrimo do Porto da cidade, diferente dos trabalhos do Muro de Arrimo que estão sendo executados pela Prefeitura Municipal em parceria com o Governo do Estado do Amazonas, que segue em andamento desde a área do Comunas.

Assayag também destacou que vai reunir com os donos de embarcações para encontrar novas opções sobre o embarque e desembarque de passageiros no Porto do município. Segundo Mateus, apenas as cargas e encomendas devem ser despachadas nos Portos alternativos. “As pessoas precisam embarcar e desembarcar com conforto, segurança e comodidade, principalmente no período de chuvas, e nós vamos levantar essa questão em busca de soluções imediatas”, afirmou.