Cabo Linhares relata trabalhos realizados na comunidade do Remanso

por Clely Ferreira publicado 19/11/2019 16h41, última modificação 19/11/2019 16h41
Colaboradores: Clely Ferreira
Texto: Lúcio Costa - Assessoria Parlamentar / Foto: Simone Brandão
Na comunidade, foram realizados a limpeza do poço artesiano e colocados novos suportes para sustentar a caixa d'água, que há mais de 15 anos não eram feitos esses serviços. O vereador agradeceu o presidente da comunidade, seu Raimundo, e os moradores pela parceria em ajudar nos serviços. "Agora, os moradores têm água cristalina, com qualidade e tratada para servir as famílias", frisou Linhares.

Na manhã desta terça-feira, 19 de dezembro, o vereador Cabo Linhares (Patriota) usou a tribuna da Câmara para destacar sua viagem a trabalho na comunidade do Remanso, na Agrovila do Mocambo. O vereador estava acompanhado do técnico do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), seu Raimundo e comitiva.

Na comunidade, foram realizados a limpeza do poço artesiano e colocados novos suportes para sustentar a caixa d'água, que há mais de 15 anos não eram feitos esses serviços. O vereador agradeceu o presidente da comunidade, seu Raimundo, e os moradores pela parceria em ajudar nos serviços. "Agora, os moradores têm água cristalina, com qualidade e tratada para servir as famílias", frisou Linhares.

Segurança Pública também foi pauta do discurso do vereador Cabo Linhares. O militar relatou a entrevista do governador do Estado do Amazonas, Wilson Lima (PSC), que admitiu a falta de policiais militares no Estado do Amazonas. O vereador disse que, apesar do contingente reduzido, os policiais militares realizam um trabalho de excelência que é ‘servir e proteger a população’.

Linhares lembrou que em 2015, existia a base Anzol na tríplice fronteira na cidade de Tabatinga, com os países da Colômbia e Peru, a qual o governo Federal desinstalou. Com isso, ocasionou prejuízos às cidades Alto Solimões, Rio Negro e Baixo Amazonas. Cabo Linhares enalteceu o discurso do deputado estadual Cabo Maciel (PL), o qual solicita do governo Federal o retorno da base Anzol, no sentido de fortalecer a segurança nas fronteiras e combater o narcotráfico.

O parlamentar falou das cobranças absurdas que vêm acontecendo no porto da família Carvalho, onde estão ocorrendo as atrações de transportes fluviais enquanto o Porto de Parintins está interditado. Segundo Linhares, os valores são abusivos com a atual realidade do município, os quais são cobrados aos mototaxistas, taxistas, tricicleiros, caminhoneiros e caminhonetes, que só têm esse meio de ganhar dinheiro para sustentar suas famílias.

Cabo Linhares sugeriu aos vereadores da Casa que solicitem uma reunião com o prefeito de Parintins, Bi Garcia (PSDB), em busca de uma solução. O edil propôs ao Poder Executivo que faça uma parceria com empresários, donos de balsa, para atender a demanda de pessoas que dependem desses serviços, até solucionar a problemática do Cais do Porto de Parintins.